Home Blog

Prof. Me. Lucas Gesta explica diferença entre História das Religiões e História Eclesiástica

O Prof. Me. Lucas Gesta, doutorando em História Política pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) e mestre em História Social pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) é um dos convidados do próximo Fé em Debate, que acontecerá nesta terça-feira (04.08), às 20 horas.

O programa questionará a diferença História das Religiões e História Eclesiástica, e quanto a isso o prof. Lucas adianta: “História da Igreja é tudo aquilo que nós fazemos de estudo, de pesquisa, de produção que estuda os Cristianismos e que venha do ambiente acadêmico. Quando eu falo de História Eclesiástica é tudo aquilo que tem haver com produção da história dos cristianismos, só que vem de dentro de uma denominação cristã específica. Ela é produzida de dentro”.

De acordo com o prof. Lucas a História da Igreja pretende a neutralidade e apresenta os fatos com interesse apenas acadêmicos. Em contrapartida, a História Eclesiástica vai sempre carregar um juízo de valor: “A Igreja Luterana pode, por exemplo, produzir a história da Reforma Protestante, mas essa história é voltada para mostrar que ao final os luteranos tem um pouco mais de razão do que as vertentes cristãs anteriores e as vertentes cristãs que existem por aqui”.

O Fé em Debate desta terça-feira contará ainda com a participação do Prof. Me. Diego Omar da Silveira, doutorando em Antropologia Social pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e mestre em História pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP). A mediação ficará por conta do Prof. Dr. Waldney Costa.

Para fazer parte desta discussão basta acessar o canal de Ciências da Religião da UERN no Youtube. Aproveite a oportunidade para também se inscrever no Canal do curso e acompanhar todas as nossas novidades!

Diferença entre História da Religiões e História Eclesiástica é discutida no Fé em Debate

O Fé em Debate desta terça-feira (04.08) se propõe a responder o seguinte questionamento “História das Religiões e História Eclesiástica: Qual a diferença?”. Para debater o assunto convidamos o Prof. Me. Diego Omar da Silveira, doutorando em Antropologia Social pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e mestre em História pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP) e o Prof. Me. Lucas Gesta, doutorando em História Política pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) e mestre em História Social pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). A mediação ficará por conta do Prof. Dr. Waldney Costa.

Desta vez em novo horário, o Fé em Debate vai ao ar, excepcionalmente, às 20 horas. Para fazer parte desta discussão basta acessar o canal de Ciências da Religião da UERN no Youtube. Aproveite a oportunidade para também se inscrever no Canal do curso e acompanhar todas as nossas novidades!

” A verdadeira história sagrada era tratada como história da igreja e dos agentes eclesiásticos da igreja”, Prof. Me Diego Omar

As diferenças entre História das Religiões e História Eclesiástica são o tema do Fé em Debate desta terça-feira (04/08), dessa vez em novo horário, às 20 horas. Para debater o assunto, contaremos com a participação do Prof. Me. Diego Omar da Silveira, doutorando em Antropologia Social pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM) e mestre em História pela Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP).

Prof. Diego adianta que dentre as diferenças fundamentais está que a História Eclesiástica é uma modalidade da História das Religiões, mas não é a única, não é exclusiva: “Houve durante muito tempo uma confusão entre a história Sagrada, que é a história do Cristianismo e que é a história Eclesiástica, com a História das Religiões, porque quem falava sobre as religiões acabava sendo o ocidente cristão, que escrevia sobre o outros e mais sobre si também. Então a verdadeira história sagrada era tratada como história da igreja e dos agentes eclesiásticos da igreja”.

De acordo com o prof. Diego o poder dessa história também advém do fato de que Igreja e Estado caminhavam lado a lado: “Era uma história dos vencedores, uma história do poder que imprimia as suas visões dos outros. Essa história privilegiou, quase sempre, as fontes oficiais da igreja, as fontes produzidas nos ambientes eclesiásticos. E desprezou outras posturas que não aquelas provenientes dos próprios historiadores da Igreja, que eram também padres, que participavam dessa Igreja”.

O Fé em Debate desta terça-feira contará ainda com a participação do Prof. Me. Lucas Gesta, doutorando em História Política pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) e mestre em História Social pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). A mediação ficará por conta do Prof. Dr. Waldney Costa.

Para fazer parte desta discussão basta acessar o canal de Ciências da Religião da UERN no Youtube. Aproveite a oportunidade para também se inscrever no Canal do curso e acompanhar todas as nossas novidades!

“Os currículos do Ensino Religioso precisam se adaptar à realidade local”, profa. Nathália Martins

“Variações Regionais do Ensino Religioso” é o tema do próximo Fé em Debate que acontece nesta terça-feira (21/07), às 19h. O programa contará com a presença da professora Nathália Ferreira de Sousa Martins, doutoranda em Ciência da Religião pela Universidade Federal de Juiz de Fora.

De acordo com a professora Nathália o porquê de tantas particularidades e diferenças do Ensino Religioso no Brasil se dá, primeiramente, em virtude da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), que possibilita que cada sistema de ensino legisle, seja no estado ou município, o que possibilita uma multiplicidade de aplicações do Ensino Religioso. Aliado a isso também não havia um parâmetro curricular estabelecido pelo MEC, que guiasse e mostrasse como o Ensino Religioso poderia ser feito. Segundo Nathalia apenas recentemente (2018/2019) a LDB finalizou essa discussão, com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e com as Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica (DCN’s) de Ciência da Religião, dando assim parâmetros únicos para que se possa pensar no Ensino Religioso.

Nathália conta ainda que a formação dos professores está dentre as diferenças que se pode encontrar, além dos modelos de Ensino Religioso e, por fim, os regionalismos, peculiaridade que considera positiva: “Os currículos, não só do Ensino Religioso precisam se adaptar à realidade local, onde ele está inserido. Então vamos supor que se a gente está falando de um contexto mais urbano, ou num contexto mais rural, o currículo vai se adaptar a esse contexto. E, inclusive o Ensino Religioso também. Ele precisa estar atento as tradições religiosas no contexto do alunado, para que aquele ensino também faça sentido”.

O Fé em debate desta terça-feira contará ainda com a presença da professora Maria Augusta de Sousa Torres, Mestra em Ciências da Religião pela Universidade Católica de Pernambuco. A mediação ficará por conta do Prof. Dr. Genaro Camboim Lula. Para fazer parte desta discussão basta acessar o canal de Ciências da Religião da UERN no Youtube.

Variações Regionais do ER é tema do Fé em Debate

O Fé em Debate desta terça-feira (21.07) tem como tema as “Variações Regionais do Ensino Religioso”. Para conversar sobre este assunto, o programa contará com a participação da professora Nathália Ferreira de Sousa Martins, doutoranda em Ciência da Religião pela Universidade Federal de Juiz de Fora e da professora Maria Augusta de Sousa Torres, Mestra em Ciências da Religião pela Universidade Católica de Pernambuco. A mediação ficará por conta do Prof. Dr. Genaro Camboim Lula.

O programa vai ao ar às 19 horas e para fazer parte desta discussão basta acessar o canal de Ciências da Religião da UERN no Youtube.

Prefeitura do Natal abre processo seletivo para professores de Ensino Religioso

A Comissão Permanente de Concurso Da Secretaria Municipal de Educação (COMPEC/SME), autorizada pelo Prefeito da Cidade do Natal, torna público o Processo Simplificado de Seleção para Contratação Temporária, a fim de integrar Cadastro de Reserva para professores de Ensino Religioso. Em edital publicado na data de hoje (08.07.2020) torna-se público este processo simplificado de seleção que terá validade de dois anos, a contar da data de publicação de sua homologação, podendo ser prorrogado por igual período.

Para concorrer ao cargo de Professor de Ensino Religioso são requisitos Licenciatura Plena em Ciências da Religião, Licenciatura Plena em Educação Religiosa ou Licenciatura Plena em Teologia. O processo será composto de Análise Curricular de caráter eliminatório e classificatório. A Jornada de trabalho é de 20 horas semanais e o salário básico é de R$ 2.421,78.

Waldney Costa, Coordenador da Licenciatura em Ciências da Religião da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN), comemora a oportunidade, mas alerta para as nuances do processo classificatório: “Essa seleção para contrato temporário é uma boa oportunidade para quem se graduou em Ciências da Religião e ainda não se encontrou no mercado de trabalho, mas é importante observar a pontuação de classificação. Neste quesito, quem não atuou em iniciação científica ou não participou de eventos acadêmicos da área sai em desvantagem”.

Para Kamisson Danyel de Azevedo Silva, egresso do curso de Ciências da Religião da UERN, a divulgação de um novo edital da secretaria de educação municipal, com vagas para professor de Ensino Religioso, ajuda a valorizar o curso oferecido pela UERN: “É interessante ressaltar, que mesmo sendo aceito como requisito para investidura no cargo o curso de teologia, a importância de se ter um profissional formado em Ciências da Religião é primordial para a que se cumpra os requisitos da LDB, pois a grade curricular do Curso de Ciências da Religião é totalmente voltada para preparar o aluno para a sala de aula. O curso apresenta disciplinas que abrangem as mais variadas áreas da educação. O que é fundamental para a realidade escolar, já vivenciadas pelos alunos nas práticas de estágios”.

O processo simplificado contempla ainda vagas para contratação temporária em caráter de cadastro de reserva para Educador Infantil e Professor de Artes Dança, Artes Música, Artes Teatro, Artes Visuais, Educação Física, Geografia, História, Inglês, Libras, Língua Portuguesa e Matemática. Para maiores informações consultar o site da Prefeitura do Natal, através do endereço: https://natal.rn.gov.br/sme/paginas/ctd-888.html

Pandemia acelera processo de digitalização no campo religioso

Religião e Internet são temas do Fé em Debate On-line desta terça-feira (07.07), evento que contará com a participação do Prof. Dr. Carlos Eduardo Souza Aguiar, doutor em Sociologia pela Université Sorbonne Paris Cité, mestre em Ciências da Comunicação pela USP, especialista em Ciências da Religião pela PUC-SP e graduado em Filosofia pela FFLCH-USP e em Relações Públicas pela ECA-USP.

Para o professor Carlos há alguns pontos que seriam interessantes de serem abordados durante o Fé em Debate como a relação histórica entre comunicação e religião; o papel da técnica na experimentação do sagrado e a questão da legitimidade da experiência religiosa e da autoridade em contextos digitais, contudo, dado o atual momento pandêmico, é inevitável que a discussão gire em torno deste viés: “A pandemia acelerou um processo longo e constante de digitalização de todo o campo religioso, que acontece desde o início do fenômeno da Internet e atinge das religiões tradicionais aos novos movimentos religiosos. Com a pandemia, até as expressões mais resistentes às possibilidades dos novos meios tiveram que acelerar seu deslocamento para as redes para que pudessem continuar existindo em tempos de distanciamento social forçado”, explica.

O programa contará ainda com a presença do Prof. Me. Valter Luís de Avellar, graduado em Ciência da Computação e mestre em Ciências da Religião, ambos pela Universidade Católica de Pernambuco, e a mediação ficará por conta do Prof. Dr. Waldney Costa. O Fé em Debate começara às 19 horas e para participar dessa conversa basta acessar o Canal do Departamento de Ciências da Religião da UERN no YouTube.

“O que a pandemia fez foi multiplicar a quantidade de fenômenos e eventos religiosos na Internet”, Prof. Me. Valter Luís de Avellar

As formas virtuais da vida religiosa é o tema do Fé em Debate On-line desta terça-feira (07.07). O programa discutirá a virtualização das religiões antes e durante a pandemia do COVID-19 e para tanto contará com a presença do Prof. Me. Valter Luís de Avellar, graduado em Ciência da Computação e mestre em Ciências da Religião, ambos pela Universidade Católica de Pernambuco.

Com a pandemia, as reuniões religiosas (missas, celebrações, cultos…) têm sido transmitidas online e ao vivo pela internet para que os membros da religião não deixem de receber as mensagens religiosas. Desse modo, com os templos fechados, os fiéis estão acompanhando os cultos pela internet e plataformas digitais. Valter, no entanto, pondera que este não é um fenômeno novo: “Mesmo antes da pandemia, tudo isso já vinha acontecendo na área religiosa da Internet: as transmissões ao vivo, as vivências religiosas, as pesquisas, o proselitismo, o fundamentalismo, o pluralismo religioso. O que a pandemia fez foi multiplicar a quantidade de fenômenos e eventos religiosos na Internet”.

De acordo com o professor Valter está havendo um crescimento em todas as áreas, não só a religiosa: “A virtualização vai estar mais presente a partir desse evento pandêmico na política, educação, religião, no comércio. Na educação, os professores tiveram que criar conteúdos digitais para as disciplinas, para transmitirem os conhecimentos pela Internet. Entre essas disciplinas temos o Ensino Religioso”, explica.

Para o professor Valter as dificuldades de acesso, quer seja por conexão ou falta de intimidade com o digital, vão diminuir à medida que aumenta a necessidade do uso. Por fim, sinaliza para os benefícios do uso da internet na atualidade: “A internet aproxima quem está longe. Basta observar como ela tem sido fundamental para mantermos a saúde mental nesses tempos de pandemia”.

O Fé em Debate da próxima terça-feira contará ainda com a presença do Prof. Dr. Carlos Eduardo Souza Aguiar, doutor em Sociologia pela Université Sorbonne Paris Cité e a mediação ficará por conta do Prof. Dr. Waldney Costa. O programa começara às 19 horas e para participar dessa conversa basta acessar o Canal do Departamento de Ciências da Religião da UERN no YouTube.

Religião e Internet são temas do Fé em Debate

O Fé em Debate On-line desta terça-feira (07.07) terá como tema as formas virtuais da vida religiosa, momento no qual será discutido a virtualização das religiões antes e durante a pandemia do COVID-19. O programa contará com a presença do Prof. Me. Valter Luís de Avellar, graduado em Ciência da Computação e mestre em Ciências da Religião, ambos pela Universidade Católica de Pernambuco, e do Prof. Dr. Carlos Eduardo Souza Aguiar, Doutor em Sociologia pela Université Sorbonne Paris Cité. A mediação ficará por conta do Prof. Dr. Waldney Costa. O Fé em Debate começara às 19 horas e para participar dessa conversa basta acessar o Canal do Departamento de Ciências da Religião da UERN no YouTube.

Fé em Debate discute intolerância religiosa e racismo religioso

Religião, Raça e Identidade é o tema do próximo Fé em Debate on-line que acontece terça-feira (23.06), às 19 horas, com transmissão através do canal do Youtube do departamento de Ciências da Religião da Universidade Estadual do Rio Grande do Norte (UERN). Para debater o assunto o programa contará com a presença do Prof. Dr. Marcos Vinicius de Freitas Reis, doutor em Sociologia pela Universidade Federal de São Carlos e docente do Curso de Mestrado Acadêmico em História Social da Universidade Federal do Amapá (UNIFAP).

Para o Prof. Marcos o debate da próxima terça-feira fortalecerá o entendimento sobre o que é que raça, o que é que identidade, o que é religião e como essas três categorias se relacionam entre si: “Será um momento para compreender as formas de religião, a religiosidade dos negros, a questão da intolerância religiosa e do racismo religioso”, explica.

Marcos pretende discorrer também sobre a sua experiência acadêmica em relação ao combate ao racismo e a intolerância religiosa: “Desde que nós chegamos aqui na universidade (UNIFASP) esse debate era pouco feito e com a criação do grupo de pesquisa nos costuramos um pouco essa relação da universidade com os terreiros e com as expressões negras. Então eu vou socializar um pouco nosso trabalho que no fundo no fundo tem como objetivo o combate ao preconceito, a discriminação, a defesa da laicidade e a defesa da tolerância religiosa”, aponta.

O Fé em Debate da próxima terça-feira contará ainda com a presença da Profa. Dra. Maria Luiza Igino Evaristo, graduada em História e doutora em Ciência da Religião ambas pela Universidade Federal de Juiz de Fora, e a mediação ficará por conta do Prof. Dr. Genaro Camboim Lula.

Para participar dessa conversa basta acessar o Canal do Departamento de Ciências da Religião da UERN no YouTube.