“Os currículos do Ensino Religioso precisam se adaptar à realidade local”, profa. Nathália Martins

“Variações Regionais do Ensino Religioso” é o tema do próximo Fé em Debate que acontece nesta terça-feira (21/07), às 19h. O programa contará com a presença da professora Nathália Ferreira de Sousa Martins, doutoranda em Ciência da Religião pela Universidade Federal de Juiz de Fora.

De acordo com a professora Nathália o porquê de tantas particularidades e diferenças do Ensino Religioso no Brasil se dá, primeiramente, em virtude da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), que possibilita que cada sistema de ensino legisle, seja no estado ou município, o que possibilita uma multiplicidade de aplicações do Ensino Religioso. Aliado a isso também não havia um parâmetro curricular estabelecido pelo MEC, que guiasse e mostrasse como o Ensino Religioso poderia ser feito. Segundo Nathalia apenas recentemente (2018/2019) a LDB finalizou essa discussão, com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e com as Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica (DCN’s) de Ciência da Religião, dando assim parâmetros únicos para que se possa pensar no Ensino Religioso.

Nathália conta ainda que a formação dos professores está dentre as diferenças que se pode encontrar, além dos modelos de Ensino Religioso e, por fim, os regionalismos, peculiaridade que considera positiva: “Os currículos, não só do Ensino Religioso precisam se adaptar à realidade local, onde ele está inserido. Então vamos supor que se a gente está falando de um contexto mais urbano, ou num contexto mais rural, o currículo vai se adaptar a esse contexto. E, inclusive o Ensino Religioso também. Ele precisa estar atento as tradições religiosas no contexto do alunado, para que aquele ensino também faça sentido”.

O Fé em debate desta terça-feira contará ainda com a presença da professora Maria Augusta de Sousa Torres, Mestra em Ciências da Religião pela Universidade Católica de Pernambuco. A mediação ficará por conta do Prof. Dr. Genaro Camboim Lula. Para fazer parte desta discussão basta acessar o canal de Ciências da Religião da UERN no Youtube.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here