A prática de escrita em uma perspectiva dialógica de linguagem: interações entre ensino fundamental e superior

Palavras-chave: Ensino, Produção textual, Formação docente

Resumo

Este artigo apresenta uma experiência discursiva estabelecida entre alunos da educação básica e superior. De um lado, estudantes do ensino fundamental II (6° ao 9° ano) escrevem com o objetivo de passar orientações pedagógicas a futuros professores de Português. De outro, licenciandos prestes a concluir o curso de Letras Português/Literaturas recebem, analisam e respondem as cartas dos referidos alunos. Transitando e servindo de correio em meio a essa linha enunciativa, uma professora atuante na educação básica e estreante como docente substituta no ensino superior busca estabelecer uma ponte entre educação básica e superior. Para isso, com base em estudos que mostram a importância de contextualização discursiva nas atividades de produção textual, bem como em discussões a respeito de concepções de educação, este artigo discute sobre expectativas e reflexões dos aprendizes transeuntes da ponte e do evento discursivo estabelecido (aprendizes transeuntes entre os quais a professora correio se inclui). Como procedimento metodológico e fundamentação teórica, usa-se a Análise Dialógica do Discurso, a fim de problematizar a experiência didática, bem como as percepções sobre a prática docente. Os resultados apontam para concepções de educação cristalizadas na educação básica e percepções as quais levam a (re)pensar práticas de formação inicial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AMORIM, M. A. de; NASCIMENTO, D. V. K.; SANTOS, M. S. dos. A leitura literária no livro didático de português: uma análise dialógica. Revista Letras Raras, v. 10, n. 1, p. 53-79, 2021.

ARROYO, M. Imagens quebradas: trajetórias e tempos de alunos e mestres. 6. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

BAKHTIN, M. A teoria do romance I: A estilística. Tradução, prefácio, notas e glossário: Paulo Bezerra. São Paulo: Editora 34, 2015.

BAKHTIN, M. Os gêneros do discurso. Tradução: Paulo Bezerra. São Paulo: Editora 34, 2016.

BIAZUS, C.; RAMIRES, V. R. Depressão na adolescência: uma problemática dos vínculos. Psicologia em Estudo, v. 17, n. 1, p. 83-91, 2012.

BRAIT, B. Análise e teoria do discurso. In: BRAIT, B. (org.). Bakhtin: outros conceitos chave. São Paulo: Contexto, 2006. p. 9-31.

BRAIT, B. Lições de gramática do professor Mikhail M. Bakhtin. In: BAKHTIN, M. Questões de estilística no ensino da língua. Tradução, prefácio, notas e glossário: Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova. São Paulo: Editora 34, 2013. p. 7-18.

BRASIL. Resolução n°2, de 1 de julho de 2015. Brasília: Conselho Nacional de Educação, MEC, 2015.

CONSIDERA, A. L. “Quem te ensinou a nadar?”: uma experiência de formação de licenciandos em letras na UFRJ. In: FERREIRA, L.; CONSIDERA, A. L. (org.). Didática e prática de ensino de língua portuguesa e literatura: desafios para o século XXI. Rio de Janeiro: Lamparina, 2011. p.119-144.

DAMIS, O. T. Didática e sociedade: o conteúdo implícito no ato de ensinar. In: VEIGA, I. P. A. (org.). Didática: o ensino e suas relações. 18. ed. Campinas, SP: Papirus, (Coleção Magistério: Formação e trabalho pedagógico), 2012. p. 9-32.

DEL CIAMPO, L. A. O sono na adolescência. Adolescência & Saúde, Rio de Janeiro, v. 9, n. 2, p. 60-66, 2012.

DENZIN, N.; LINCOLN, Y. A disciplina e a prática da pesquisa qualitativa. In: DENZIN, N.; LINCOLN, Y. (org.). O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. Porto Alegre: Artmed, 2006. p. 15-41.

FARACO, C. A. Linguagem e diálogo: as ideias linguísticas do círculo de Bakhtin. São Paulo: Parábola, 2009.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 60. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2016.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GERHARDT, A. F. L. Concepções de aprendizado na BNCC: bases ideológicas e efeitos no ensino de português. In: AMORIM, M. A. de; GERHARDT, A. F. L. A BNCC e o ensino de línguas e literaturas. Campinas, SP: Pontes Editores, 2019. p. 87-120.

LIBÂNEO, J. C. O dualismo perverso da escola pública brasileira: escola do conhecimento para os ricos, escola do acolhimento social para os pobres. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 38, n. 1, p. 13-28, 2012.

MORETTO, M.; WITTKE, C. I.; CORDEIRO, G. Apresentação. In: MORETTO, M.; WITTKE, C. I.; CORDEIRO, G. (org.). Dialogando sobre as (trans)formações docentes: (dis) cursos sobre a formação inicial e continuada. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2018. p. 11-18.

SOBRAL, A.; GIACOMELLI, K. Observações didáticas sobre a análise dialógica do discurso - ADD. Domínios de lingu@gem, v. 10, n. 3, p. 1076-1094, 2016.

SOBRAL, A.; GIACOMELLI, K. Comentários sobre o círculo de Bakhtin e Vygotsky para uma concepção dialógica de educação. PERcursos Linguísticos. v. 8, n. 19, p. 12-27, 2018.

REIS, V. T.; PRATA, M. A.; SOARES, A. B. Habilidades sociais e afetividade no contexto escolar: perspectivas envolvendo professores e ensino-aprendizagem. Psicologia Argumento, v. 30, n. 69, p. 347-357, 2012.

RIOLFI, C. et al. Ensino de língua portuguesa. Coleção ideias em ação. São Paulo: Cengage Learning, 2014.

VOLÓCHINOV, Valentin. Marxismo e filosofia da linguagem. Tradução: Sheila Grillo e Ekaterina Volkova Américo. São Paulo: Editora 34, 2017.

Publicado
2021-03-23
Como Citar
NASCIMENTO , D. V. K. A prática de escrita em uma perspectiva dialógica de linguagem: interações entre ensino fundamental e superior. Diálogo das Letras, v. 10, p. e02102, 23 mar. 2021.